Grupo Santa Celina

Blog

Vacinação: um cuidado precioso com a sua saúde.

jun 08 - 2018 0 comentários visualizações

Um dos grandes avanços da medicina foi a descoberta e a evolução das vacinas, importante aliado no aumento da expectativa de vida humana. As vacinas foram criadas para defender o organismo da contaminação por vírus e bactérias que provocam doenças. Ao longo dos anos, o uso das vacinas, tem levado à erradicação de várias doenças como a varíola e a poliomielite.

O Brasil conta com técnicas modernas para produção de vacinas em laboratórios públicos, que atendem a todo o processo de qualidade de produção exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As vacinas podem ser produzidas a partir de organismos enfraquecidos, mortos ou alguns derivados, podendo ser aplicadas por meio de injeção ou via oral. Quando a pessoa é vacinada, seu corpo detecta a substância e produz uma defesa, os anticorpos. São esses anticorpos que permanecem no organismo e evitam que a doença ocorra no futuro, tornando o indivíduo imune a essa doença.

As vacinas não apresentam risco à saúde, ao contrário, garantem benefícios de longo prazo ao indivíduo vacinado, assim como às pessoas com quem ele se relaciona. Ao ser vacinada, a pessoa deixa de ser um possível vetor de transmissão de doenças, impedindo que a mesma se espalhe para pessoas que ainda não foram vacinadas, contribuindo, assim, para o controle de epidemias. Portanto, embora muitas pessoas ainda não percebam a importância, o principal efeito da vacinação é garantir a boa saúde da população.

Manter em dia a cartela de vacinas é de extrema importância. Algumas vacinas devem ser renovadas ao longo dos anos, como no caso das gripes, pois o vírus ou a bactéria que gera a doença pode vir a sofrer mutações que os permita sobreviver à imunidade que o organismo adquiriu em sua primeira vacinação. Por isso, é necessário prestar muita atenção à sua carteira de vacinação, especialmente por causa das vacinas que devem ser reaplicadas com prazos maiores.

Fique atento também ao Calendário Nacional de Vacinação, que beneficia a todos e ressalta a importância de procurar um posto de saúde. Nos postos, os profissionais de saúde avaliam quais são as vacinas que o indivíduo deve tomar, de acordo com a sua carteira de vacinação. A maioria das pessoas relaciona vacinação a crianças e população de risco, como os idosos, entretanto, adolescentes e adultos também precisam manter a carteira de vacinação atualizada.

 

Veja aqui quais são as vacinas mais importantes:

 

1 – Difteria e Tétano:

Vacina normalmente aplicada na infância, porém ela deve ser renovada a cada dez anos para garantir a imunização contra essas doenças.

 

2 – Tríplice Viral:

Garante imunização contra sarampo, caxumba e rubéola, é de extrema importância e deve ser tomada durante a infância, época em que o risco de contração da doença é maior do que na vida adulta. Mulheres e gestantes que não foram vacinadas na infância, devem redobrar a atenção, pois a rubéola causa grandes problemas e riscos durante a gravidez.

 

3 – Tetra Viral:

Imuniza contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Deve ser tomada por crianças com idade entre 15 meses e quatro anos. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda a vacinação das crianças com a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses de idade (primeira dose) e aos 15 meses com a tetra viral (segunda dose com a varicela).

 

4 – Gripe:

O vírus da gripe sofre mutações rapidamente e a vacina garante a imunidade contra os tipos mais comuns e os mais recentes, por isso, deve ser tomada todos os anos, especialmente pelas pessoas com mais de 60 anos e por quem pertence a grupos de risco.

 

5 – Hepatite A

Deve ser tomada por crianças com idade entre 15 meses e 5 anos.

 

6 – HPV (Papilomavírus Humano)

Vírus sexualmente transmissível, que pode causar câncer em várias regiões anatômicas de homens e mulheres e são responsáveis por quase 100% dos casos de câncer do colo de útero, doença que ainda mata muitas mulheres. Por isso, é uma vacina extremamente importante e que deve se aplicada em meninos e meninas com idade entre 9 e 14 anos, de forma preventiva, antes que se inicie a vida sexual.

 

7 – Meningocócica C

O Ministério da Saúde disponibiliza a vacina meningocócica C (conjugada) para adolescentes de 12 a 13 anos de idade, porém, essa faixa etária será ampliada gradativamente até 2020, quando serão incluídos crianças e adolescentes de 9 até 13 anos.

 

Lembre-se: Vacinas são eficazes na prevenção de doenças.

Procure sempre a orientação de um especialista, previna-se, previna a quem você ama e viva bem!

 

Fonte: www.blog.saude.gov.br

Revisão técnica: Ana Carolina Nascimento Raymundo

Faça o seu comentário

Após a publicação do seu comentário, ele será avaliado antes de aparecer no nosso site.

Gestão Saúde 360º | Grupo Santa Celina

maio 30 - 2018 0 comentários visualizações

O Gestão Saúde 360º é um modelo assistencial criado pelo Grupo Santa Celina, que integra, organiza e coordena os cuidados e serviços de saúde, com mais eficiência e qualidade ao usuário. Toda a integração é realizada em uma plataforma de g

Saiba Mais

Confira matéria sobre como reduzir os custos com a saúde

fev 01 - 2018 0 comentários visualizações
Saiba Mais

Febre Amarela

jan 19 - 2018 0 comentários visualizações

Clique aqui e esclareça suas dúvidas sobre a febre amarela e vacinação.

Saiba Mais

Pesquisa ABRH-Brasil: custos com saúde cresceram acima da inflação para 81% das empresas do Brasil

jan 03 - 2018 0 comentários visualizações

Em entrevista para HBR Brasil Channel, Juliana Caligiuri – Superintendente Executiva de Desenvolvimento de Negócios da BP, fala sobre os custos com a saúde no Brasil, e sobre o BP 360 - Projeto inovador de gestão integrada de saúde, parceria en

Saiba Mais

Grupo Santa Celina trabalha em parceria com a SulAmérica em programa voltado ao idoso.

nov 28 - 2017 0 comentários visualizações

Clique aqui e leia na íntegra a matéria que saiu na Folha De São Paulo, dia 27/11.

Desde o início o Grupo Santa Celina vem apoiando as operadoras na implantação de modelos que facilitem a coordenação e integração de cuidado para a popul

Saiba Mais
12